O papel do Pai, no desenvolvimento emocional de seus filhos


O pai é aquele que chega para estabelecer com o filho a primeira relação além da mãe. E ele precisa estar presente em todos os momentos da vida da criança.

Criar e cuidar de uma criança são tarefas árduas que exigem esforço, tempo, dedicação e paciência. Por isso, não deve ser responsabilidade única da mãe. Quando o trabalho é dividido entre mãe e pai, além de ficar mais rico, ele fica mais fácil. Pai e mãe devem participar de todo o processo de desenvolvimento e a função paterna vai muito além de “ajudar” a mãe a cuidar dos filhos.

Estabelecer limites e ajudar o filho a ter noção de certo e errado são algumas das atitudes decisivas para a formação do caráter e também fazem parte da função paterna.

A criança espera coisas diferentes de pai e mãe. Geralmente o pai representa proteção e a mãe representa cuidado. Uma criança que tem um pai presente e participativo cresce se sentindo mais segura.

Por isso, é necessário que o pai não esteja apenas fisicamente presente, mas que contribua para a educação e a formação dos filhos, e não seja indiferente ao desenvolvimento deles. Quando uma criança se sente rejeitada pelo pai, ou não sente que é desejada como um filho, pode ficar frustrada, insegura e ansiosa pelo resto da vida. Já quando o filho se sente querido, a sensação de bem-estar é muito maior e isso é essencial para o desenvolvimento emocional.

#educação #papeldopai #DanielaRodriguesCosta #psicologia #PsicologiadaVila